28 de mai de 2010

Dicionário de Nukes


Introdução

Se você está por dentro da Scene, provavelmente irá querer sair deste tópico agora mesmo, os parágrafos seguintes não farão diferença pra você. Entretanto, existem também muitas pessoas não tão familiarizadas com a lingüagem Scene, por isso decidimos separar uma lista dos nukes mais comuns e explicá-los pra você. Dessa forma, sempre se saberá o que esperar de um release nukado.

Os nukes a seguir são baseados no TDX 2005.

<< stolen.from.p2p >>

Ultimamente vem sendo um nuke muito popular e comum. Basicamente significa que o grupo da Scene anunciante do release o roubou de outra fonte - mais especificamente da rede P2P. Na maioria dos casos, se trata de um tracker privado, que obteve e lançou a cópia de um filme antes do que qualquer outra fonte. Este nuke não influenciará o vídeo visualmente, e muitos sceners o consideram inofensivo, já que basicamente nós roubamos filme do mesmo jeito.


<< stolen.src >>

Fonte roubada. Similar ou até mesmo parecido com o nuke acima. Os grupos da Scene podem roubar tanto o vídeo quanto o áudio uns dos outros, diferentemente das redes peer-to-peer.


<< bad.res >>

Resolução imprópria da imagem. As regras da Scene definem as resoluções permitidas e suas dimensões. Se um filme não se adeqüa à estas regras, significa que a imagem provavelmente estará deformada de um modo geral. Muitos players avançados de vídeo permitem a troca da resolução, fazendo com que possa ser reparado no seu computador (às vezes).


<< bad.ar >>

Dimensões impróprias. Razão similar à supra-citada. Cada vídeo originalmente foi filmado e lançado com uma dimensão específica (lados horizontais e verticais). O AR (aspect ratio) mais comum é o 2.35:1, equivalente à uma resolução de 640 x 272 pixels, por exemplo. Uma dimensão irregular pode resultar em uma imagem desproporcional, com os personagens largos na tela, ou mais altos, com uma certa freqüência. Também pode ser reparado em alguns players de vídeo.


<< dupe >>

Dupe quer dizer duplicado. Significa que o release nukado já foi lançado anteriormente por outro grupo, logo o nukado basicamente se inutiliza, através da duplicidade. Na verdade não importa muito se você não liga para as estritas regras da Scene.


<< undersized >>

O release é nukado como undersized quando não preenche a capacidade de um ou dois cd´s. Significa por exemplo que o rip final é de 680 Mb, quando poderia ser de 700 Mb e oferecer uma melhor qualidade de áudio e vídeo. Novamente, não é grande coisa à menos que esteja centenas de megas abaixo.


<< bad crop, overcropped >>

Os filmes no DVD contém partes escuras na imagem, acima e abaixo do vídeo de fato. Visando uma redução do tamanho e oferecendo a melhor qualidade possível, essas partes escuras devem ser removidas antes de serem encodadas e lançadas em XviD. Algumas vezes, os grupos da Scene não retiram/cortam essas partes adeqüadamente, ocasionando perca superior ou inferior do vídeo, ainda que você não veja a cena inteira. O recorte geralmente é utilizado também na remoção de marcas d´água ou legendas embutidas, embora ainda se conceitue em uma séria perda da imagem. O outro (overcropped), não tão comum, é quando o grupo esquece de remover essas partes escuras.


<< bad.ivtc.no.ivtc >>

Nuke comum que afeta principalmente releases de baixa qualidade. IVTC quer dizer "inverse telecine" (telecine inverso), e basicamente é um processo de conversão de um filme (geralmente PAL) com um alto FPS (frames per second - 30 quadros por segundo) para um baixo FPS (24 por exemplo), com o objetivo de economizar espaço e oferecer uma melhor qualidade na imagem. Essa conversão quase sempre sai errada (bad.ivtc), ou falha completamente (no.ivtc, sceners lammers). Como resultado, a imagem aparenta uma certa tremulência e o release final ocupa muito espaço sem nenhum motivo.


<< interlaced >>

A imagem contém linhas negras visíveis, que raramente fazem com que o vídeo deixe de ser assistível. Essas linhas negras são mais visíveis durante o movimento da imagem e são causadas pela ordem incorreta dos campos, em razão de um modo diferente de se mostrar os quadros e os campos no vídeo. Maiores detalhes disponíveis nesse exemplo aki. É altamente recomendável não baixar todo e qualquer release interlaced.


<< cbr.audio >>

O áudio pode ser ou CBR (bitrate constante), ou VBR (bitrate variável). De acordo com as regras da Scene, todos os releases devem contem áudio VBR, então qualquer release CBR é instantâneamente nukado. O bitrate variável permite uma melhor qualidade, de acordo com o som, enqüanto que o constante estabelece a mesma qualidade o filme inteiro, incluindo aí os trechos silenciosos. Todavia, os releases com áudio em AC3 quase sempre utilizam o CBR. É complicado perceber a diferença entre constante e variável em um ouvido não-treinado, logo esse nuke não é tão grave se você não liga para as regras.


<< bad.fps >>

Quadros errôneos. A taxa de quadros deve ser próxima da original. Não se trata de um nuke muito comum, mas é melhor atentar para os releases com esse nuke.


<< mislabelled >>

Release tentando aparentar uma melhor qualidade. Bom exemplo disso é o R5 russo sendo lançado como DVDRip - a diferença não é tão grande nesse caso e os grupos acabam ganhando o direito do PROPER, para lançarem RETAILs. Um outro caso seria a nomenclatura ou o ano errado no nome do release.


<< grp.req >>

Um pedido de nuke pelo grupo anunciante. Acontece quando um grupo lança algo e se dá conta de que está completamente errado, não funcionando, ou simplesmente com defeito, daí eles solicitam o nuke.


<< oos, out.of.sync >>

Fora de sincronia, quando o áudio não está sincronizado com o vídeo. Erro extremamente perturbador que torna a maior parte dos releases impraticáveis. Acontece com muita freqüência em CAMs, Telesyncs e Telecines, pois requerem uma sincronia de áudio e vídeo, quando de fontes diferentes. Alguns releases ficam completamente fora de sincronia, enqüanto que outros apresentam o problema por questão de segundos ou minutos.


<< bad.pack >>

Má compactação. O grupo não compactou o release corretamente, de acordo com as regras da Scene. Significa que esqueceram de compactar em RARs de 15/20/50 Mb, ou quando é impossível descompactar.


<< invalid.proper >>

PROPER é um release reparando o outro, já anteriormente nukado. Quando um certo grupo lança o PROPER e o primeiro release está bom, o novo acaba nukado por invalid proper.


<< qpel.not.allowed >>

Qpel ou "um quarto de pixel", é uma característica de codecs modernos tais como o H.264 (X264), que permitem uma compressão melhor e mais eficiente. Vídeos encodados com a precisão de "um quarto de pixel" requerem o dobro do processamento pra encodarem, e entre 30 e 60% de processamento adicional pra decodarem. Dessa forma, faz com que a maioria dos releases causem problemas de software ou sua reprodução não seja possível em alguns players de mesa.


<< ghosting >>

Característica perturbante em um release, que resulta em um efeito fantasma durante cada movimento do filme. É causada por uma conversão imprópria e pode ser facilmente solucionada.


<< field.shifted, dupe.frames, blended.frames, custom.quant.matrix >>

Outros nukes mais sérios que afetam a imagem, que surgem durante o processamento do vídeo final.


Veja Também:

Desvendando a Scene Warez

Fonte: RLSLOG.net (Tradução by XandeAlves)

Saiba mais sobre a Scene

O que é a Scene?

A Scene, também conhecida como Warez Scene, é uma rede mundialmente desconhecida onde pessoas compartilham conteúdo pirata, como Dvd´s, filmes, jogos, aplicativos, etc. Primeiro, o conteúdo é lançado por releasegroups, grupos dos quais especializados em publicar esse material. Eles copiam um Dvd ou quebram a proteção de um jogo, e o torna disponível pra outras pessoas, nos chamados releases. Quando esses grupos terminam um release ele é upado nos sites. São servidores FTP muito rápidos e privados, sendo a primeira escala na distribuição do release. Eventualmente, ao final da distribuição, os releases estarão disponíveis pra todos na rede P2P.

A velocidade dessa rede mundial é enorme. Em questão de minutos um release pode ser copiado para centenas de outros sites. Em questão de uma hora, para milhares de sites.

Em questão de um ou dois dias são disponibilizados em grupos de noticias, no IRC, e por fim na rede P2P. Não se trata de uma familia grande e feliz. A Warez Scene consiste de certos grupos/camadas. No topo temos os releasegroups e os topsites. Esses grupos constituem o núcleo da Scene. Os demais grupos oficialmente não fazem parte da Scene. Ainda que muitas pessoas os considerem parte dela.

A Scene não é somente uma rede de distribuição, vai muito além disso. Existem regras na Scene que servem pra garantir releases de boa qualidade. Caso contrário, o release será nukado. Significa que ele será marcado como irregular. Releases nukados não são vistos com bons olhos e o grupo que lançou acaba ficando com uma má reputação.

Segurança é um tema importante na Scene. Tendo em vista as atividades serem ilegais os sceners precisam estar protegidos, à salvo de organizações anti-pirataria e evitarem serem plotados em Operações.

A Hierarquia da Warez Scene

A Scene é baseada numa certa hierarquia. Para explicar a estrutura disso, aqui vai uma visão geral da cadeia alimentar pirata. Nem todas essas camadas constituem a Scene. As organizações anti-pirataria e a maioria das outras partes que não representam a Scene propriamente dita, consideram todos esses grupos como filiados à Scene. Ainda que não sejam na prática. De fato, os releasegroups e o pessoal dos topsites odeiam esses outros grupos. O motivo pra isso é que os fxp boards, os irc traders e principalmente os users P2P colocam a Scene em perigo. Os Sceners buscam manter seus releases para uma quantidade limitada de pessoas. Pois qualquer um que tenha computador e saiba usar software P2P, pode baixar o conteúdo. Isso causa grande perda no ramo logístico e na produção cinematográfica, o que nos leva até as organizações anti-pirataria, polícia/atenção do FBI, etc. Isso põe os Sceners em risco, então por isso acabam desaprovando esses grupos. Os FXP Boards se consideram integrantes da Scene. Os irc-traders e os grupos de notícias tem noções da Scene, e os usuários P2P definitivamente não conhecem a Scene.

A hierarquia da Scene é a seguinte:

Releasegroups - Grupos de pessoas que lançam o conteúdo na Scene. Freqüentemente ligados com os Site Traders.

Topsites - Servidores FTP muito rápidos com pessoas que compartilham os releases dos releasesgroups para outros (top)sites.

FXP Boards - Pessoas que buscam/hackeiam/sabotam computadores vulneráveis com conteúdo.

IRC Trading - Usuários do IRC que baixam via XDCC ou servidores de arquivos.

Newsgroups - Pessoas que baixam de canais de notícias binários.

Peer-to-Peer - Usuários de programas P2P tipo KaZaA e BitTorrent que compartilham uns com os outros.

O Sistema da Scene

Na hierarquia da Scene explicamos o que é um topsite. Aqui nós daremos informações mais detalhadas sobre topsites e seu sistema, e o sistema da Scene. Segurança certamente é uma questão muito importante. Os topsites são muito privados. Uma típica configuração de topsite irá permitir aos usuários somente logarem-se com uma certa identificação e host (ou faixa de IP), com autenticação SSL em todas as sessões FTP. Servidores FTP são freqüentemente usados pra esconder o verdadeiro endereço IP do topsite, e pra compartilhá-lo na rede. A maioria dos usuários irá se conectar através de proxy. Dessa forma os sites não vêem seus verdadeiros IP´s.

IRC: todos os membros do site se fazem presentes no canal IRC do mesmo. Esses canais em sua maioria localizam-se em servidores IRC privados e muito seguros, e você precisará se conectar via SSL. Além do SSL existem outras medidas de segurança. Você não pode simplesmente entrar (join) no canal, você precisa se convidar, utilizando uma linha de comando quando você se conecta ao site. Desse jeito pessoas que não são membros do site, não poderão entrar (no canal) uma vez que é protegido com auto-convite e/ou com uma channel key (senha). E os canais são freqüentemente protegidos com FiSH. FiSH é um add-on (seria um algo a mais) que criptografa as mensagens em um canal. Com isso as pessoas que não tiverem a fish key correta, não poderão ler as mensagens. Nesse canal IRC, os membros e os operadores do site podem comunicar-se uns com os outros. Também há um bot presente, que fará anúncios quando um releasegroup publicar um novo release no site, ou anunciará quando um membro upar um release. Muitos sites também tem um canal de anúncios. Esse canal mostra automaticamente os últimos releases logo após o PRE. Mais sobre isso abaixo.

Sistema de Créditos: O site trabalha com um sistema de créditos. Operadores do site e alguns afiliados ficam isentos desse sistema, com uma conta Free Leech. Esse sistema de crédito funciona de acordo com o ratio. O mais comum é o 3:1, significa que quando você upa 3 GB, você pode baixar 9 GB. Quando um membro não consegue o valor mínimo mensal requerido de upload, ele automaticamente será deletado. Créditos podem ser perdidos upando release irregular que termina como nukado. Nukes multiplicados afetam a quantia de créditos perdidos.

Afiliados: Falaremos basicamente de três ranks: siteops, affiliates e racers. Siteops (operadores-site) são os administradores. Existem geralmente de dois à três siteops por site. Um deles na maioria das vezes é o fornecedor do site, o outro a pessoa que encontra o fornecedor e o guia durante a instalação do servidor. E o outro será de amigos e pessoas envolvidas na Scene. Um ou mais dos siteops será nuker. É seu encargo nukar qualquer release considerado velho ou falso (fake). Affiliates são os releasegroups que postam os releases logo após serem finalizados. Cada afiliado tem acesso a uma pasta privada e oculta no topsite. Essa pasta é usada no upload de novos releases antes de se tornarem disponiveis em outros sites. Quando um novo release é upado em cada um dos sites do grupo, um comando é executado pra simultaneamente copiá-lo pra uma pasta acessível por outros usuários, e engatilhar um anúncio no canal IRC do topsite. Esse comando é chamado de PRE-command. "To pre" refere-se à execução desse comando. Pre-releases também podem ser replicados em canais externos de anúncios pra informar outros membros/usuários que um novo release está disponivel pra racing (concorrência, competição).

Banco de Dados: Quando o pre de um grupo é lançado, o release é automaticamente registrado no pre-database. É um enorme banco de dados que contém todos os releases que já foram lançados na Scene. Esse banco de dados grava nome dos releases bem como data e hora, embora os campos variem de banco pra banco. Exemplos de outros campos comuns incluem gênero (releases MP3), seção, e detalhes do nuke. Os bancos de dados são mantidos de modo que forneçam aos grupos informações necessários a fim de se evitar um dupe (duplicidade). Os próprios usuários podem fazer essa checagem, vendo por exemplo, se o filme já foi lançado, a data do release, o status (nukado ou não), entre outros. Os bancos de dados são atualizados através de processos automáticos ora buscando em Topsites por novos releases, ora captando anúncios nos canais do site.

Nukes: Se um grupo publica um release que já foi lançado por outro grupo, é um dupe (duplicidade). Então o release será nukado. Isso significa que será marcado como release irregular. Os grupos tentam evitar nukes, uma vez que eles lhes darão uma má reputação. Com exceção de dupes, os releases podem ser nukados por outras razões também. Existem dois tipos de nukes:


Nuke Global: nukado em razão do próprio release. É nukado por haver algo de errado com o release, por exemplo: erros no som, dupe, vídeo congelando, mal ripado, etc. Se um grupo se der conta de que há algo errado, eles podem pedir um nuke. Nukes comuns: Dupe, Bad Aspect Ratio (Bad AR), Bad Inverse Telecine (processo de conversão dos quadros incorreto), interlaced (linhas pretas no movimento conforme a ordem do campo estiver incorreta).

Nuke Local: nukado em razão da localidade. Determinados sites irão nukar por estar em desacordo com as regras, por exemplo: nada de telesyncs, nada de Dvd´s dublados em outros idiomas que não o inglês, etc. Nesse caso não haverá nada de errado com o release. Por serem localmente nukados, eles ainda podem ser compartilhados em outros sites.


Sobre as Regras da Scene

As regras da Scene são padrões na Scene Warez para os lançamentos. Esses padrões são os requisitos mínimos para um release. As regras da Scene são definidas por grupos de pessoas que estiveram envolvidas ativamente por vários anos estabelecendo vínculos com grupos maiores. Essas pessoas formam um comitê, que formula idéias a serem aprovadas por esses grupos maiores. Na distribuição organizada da warez, todos os releases devem seguir esses padrões pré-definidos pra tornarem-se materiais aceitos. O comitê geralmente cicla a maioria das idéias e finalmente decide qual serve melhor ao propósito, e então as mandam para aprovação. Uma vez a idéia assinada pelos grupos, se torna ratificada e aceita como padrão atual. Existem diferentes padrões pra cada categoria de releases. As regras da Scene podem ser atualizadas à qualquer hora, embora o recomendado sejam no máximo uma ou duas alterações anuais. Essas regras são arquivos particulares, não acessíveis pra ninguém fora da Scene. Porém algumas podem ser vistas pela web.

O Porque Dessas Regras

As regras da Scene podem parecer um pouco rigorosas, mas elas certamente não estão lá pra incomodar rippers. Existem vários motivos pra essas regras existirem:

1. As regras englobam apenas releases de alta qualidade, então não se preocupe com baixa qualidade, erros ou coisas do tipo.

2. Pelo fato dos releases serem divididos em pequenas partes você não precisa se preocupar em baixar novamente o release inteiro se algo der errado. Você pode controlar se tudo foi baixado corretamente verificando o arquivo SFV. Portanto você sempre saberá se pegou algo incompleto do release que baixou. Significa que você terá o mesmo número de arquivos no computador, assim como a pessoa que upou primeiramente o filme e criou o release.

3. As regras levam à um modo padronizado de compartilhamento, no qual os downloads obviamente acabam se beneficiando. Você aprenderá a reconhecer um bom release e estará a par dos problemas/surpresas inconvenientes de filmes pobremente ripados por amadores. Também será muito mais fácil comparar os releases entre si.

4. Os releases da Scene sempre contém todas as informações de como foram ripados, em qual qualidade, etc. Dessa maneira você sempre sabe o que está baixando.

Hierarquia Qualitativa Dos Releases E Grupos Da Scene

CAM < Telesync (TS) < Workprint (WP) < Telecine (TC) < Screener (SCR) < DVD-Screener (DVDScr) < DVD-R5 e DVD-R3 < DVD-R1 e DVD-R2 (DVDRip) < BDRip (Blu-Ray Disc Rip)

Alguns Grupos da Scene

São grupos da Scene: ALLiANCE, PreVail, HLS, SaGa, CAMERA, LRC, DoNE, ESPiSE, DMT, VoMiT, mVs, LPD, iKA, AFO, DvF, iMBT, FLAiTE, TFF, DiAMOND, PUKKA, e muitos outros. Lembrando que aXXo e FxM não fazem parte da Scene, são grupos de reencoders. Topsites nunca postam releases desses dois grupos.

Veja Também:
Dicionário de Nukes


Fonte: AboutTheScene.com (Tradução by XandeAlves)

18 de mai de 2010

Programas preferidos

Segue uma lista dos meus programas preferidos. Espero que possa ajudar alguém que esteja procurando uma solução para linux.

# JDownloader é código aberto, independente de plataforma e completamente escrito em Java. Ele simplifica o download de arquivos de servidores One-Click-Hosters como Rapidshare.com ou Megaupload.com - não somente para usuários premium, mas também para usuários que não pagam. Oferece download com multiplas conexões em paralelo, reconhecimento de captcha, extração automática de arquivo e muito mais. Claro, JDownloader é absolutamente livre de pagamento. Além do mais, muitos sites com link encriptado são suportados - então você cola os links encriptados e o JD faz o resto. JDownloader permite importar arquivos CCF, RSDF e o novo DLC.

# TestDisk é um poderoso recuperador de dados. Primeiramente foi desenvolvido para ajudar a recuperar partições perdidas e/ou fazer discos não-bootáveis em bootáveis novamente quando os sintomas for causados por falha de software, por virus ou erro humano (como deletar acidentalmente uma partição). Recupere partições facilmente com este software
Debian-like:
$ sudo apt-get install testdisk


# Emesene é um cliente de mensagem instantânea open source para protocolo MSN. Ele é multiplataforma e é escrito usando Python e GTK. Desenvolvido por Luis Mariano Guerra e distribuído sob licença GNU GPL, o eMeSeNe depende de, entre outros, Python (2.4), GTK+, pyGTK e pyCairo. Bem mais leve que o aMSN e o WLM.

Características

* Interface limpa e fácil de usar
* Conversas em abas
* Emoticons personalizados
* Transferência de arquivos
* Mensagens offline
* Mensagens pessoais
* Pedir atenção
* Interface multi-idioma
* Personalização: temas, emoticons, sons, interface, formato da conversa
* Plugins
* MSN Plus!
* Log de conversas

Debian-like:
$ sudo apt-get install emesene


# pyRenamer - Programa que permite renomear arquivos, músicas e imagens em lote de forma descomplicada.
Debian-like:
$ sudo apt-get install pyrenamer


# SKDownloader é um programa muito útil para usuários que não queiram ficar perdendo seus downloads através dos gerenciadores de downloads que vêm embutidos nos navegadores. O aplicativo foi criado para quem deseja um software alternativo e que de quebra acelere os downloads. Além de ser um software muito leve, o SKDownloader traz alguns temas para que você deixe o programa combinando com seu sistema operacional.

# qBittorrent é um programa para a transferência de arquivos na redes Torrent, possuindo a característica de ser bastante fácil de ser manipulado, através de uma interface limpa e completa ao mesmo tempo. Melhor que o Transmition que vem com o Ubuntu. :D
Debian-like:
$ sudo apt-get install qbittorrent


# VLC Media Player é um tocador multimídia de código aberto e poderoso. Ele pode ler diversos formatos de áudio e vídeo (MPEG4, MPEG2, MPEG1, DivX, MP3, OGG, etc.), assim como lê DVDs, VCDs e vários protocolos de transmissão (streaming). Também tem a opção de ser usado como servidor para vídeos. Bem parecido com o Media Player Classic.
Debian-like:
$ sudo apt-get install vlc


# Remobo - VPN instantânea P2P zero-configuração

# Exaile é um player de multimídia, o qual foi desenvolvido para o ambiente gráfico Gnome, possuindo um funcionamento semelhante ao Amarok, suportando plugins e rádios online.
Debian-like:
$ sudo apt-get install exaile


# BrOffice, a brasileira da suíte de aplicativos OpenOffice.org. Famosa por ser a melhor alternativa à suíte da Microsoft, está com vários recursos melhorados e alguns retoques visuais.
Debian-like:
$ sudo apt-get install broffice.org


# Netbeans é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) gratuito e de código aberto para desenvolvedores de software na linguagem Java, C/C++, PHP, Groovy, Ruby e muito mais. O IDE é executado em muitas plataformas, como Windows, Linux, Solaris e MacOS. O NetBeans IDE oferece aos desenvolvedores ferramentas necessárias para criar aplicativos profissionais de desktop, empresariais, Web e móveis multiplataformas.
Debian-like:
$ sudo apt-get install netbeans


# aMule é uma versão alternativa do famoso programa de compartilhamento P2P, o eMule. Praticamente igual ao seu concorrente, o aMule tem algumas diferenças substanciais, e a principal é de se tratar de um programa com suporte multiplataforma, desde variantes do Linux, Mac e até o Windows.
Debian-like:
$ sudo apt-get install amule


# SopCast: relaxe em sua cadeira! Assista aos mais variados canais de TV online aí na telinha do seu PC.
Debian-like:
$ sudo add-apt-repository ppa:jason-scheunemann/ppa; sudo apt-get update; sudo apt-get install sopcast-player


# K3b é uma ferramenta simples e completa para gravação de CD/DVD no Linux.

Projeto Multiterminal

Recomendo a instalação através do MDM (Multiseat Display Manager) por ser "automatizada" em boa parte da configuração:

http://wiki.c3sl.ufpr.br/multiseat/index.php/Installing_mdm/pt-br


Instalação manual:

* Instruções para o Ubuntu 7.04
* Instruções para o Ubuntu 8.04
* Instruções para o Ubuntu 9.04
* xephyr-precompiled.tar.bz2